TIME-OUT

Os Donos da Bola

Publicado em: 03/03/2019 00:00

Por: Patricia.lima

 

“Despite all the successes, there is still a long way to go. Therefore I ask all of us to continue our joint efforts to establish handball as what it is in our opinion: The most beautiful sport in the world! Handball is a diamond, which should be polished in order to become a brilliant”¹.

Dr. Hassan Moustafa, presidente da IHF

 

Segundo consta em seu Estatuto, a Federação Internacional de Handebol foi fundada em 11 de julho de 1946 e, do ano de fundação até 1950, o headquarter era na Suécia já que seu presidente era o sueco Gösta Björk. Quando o suíço Hans Baumann assume a presidência em 1950 [a 1971] a sede oficial é permanente transferida para a cidade de Basiléia, na Suíça, registrada em Estatuto. Entre os anos de 1971 e 2000, os presidentes foram o sueco, Paul Högberg [1971 e 1984] e, o austríaco Erwin Lanc [1984 e 2000]. Desde 2000, o egípcio Dr. Hassan Moustafa é quem preside a Federação.

 

A Federação é reconhecida pelo Comitê Olímpico Internacional como a única representante do handebol internacional e possui, atualmente, 209 federações nacionais, sendo a terceira entidade mundial em quantidade de filiados. Antecessora à IHF, na década de 1920, nos anos primários do handebol, a entidade responsável pela modalidade era conhecida por Federação Internacional de Handebol Amador - IAHF. A entidade esteve à frente da primeira participação do handebol no campo nos Jogos Olímpicos de Verão em 1936 e do primeiro mundial no salão em 1938.

 

Fundamentalmente desde 1946, a Internacional tem por objetivo não apenas liderar, desenvolver e promover o handebol em todos os segmentos no mundo, mas também dar suporte à ética no handebol internacional transpassando para as federações continentais e nacionais. Atribui-se à ela a realização de eventos como cursos, simpósios, congressos em diversas categorias, e, primordialmente, a organização e execução de campeonatos mundiais e classificatórios, torneios internacionais, mundiais de clubes no salão e na praia. No segmento técnico, à ela compete a qualificação de árbitros, delegados e oficiais técnicos, oficiais de equipes e médicos dentro das normas do handebol. No website da IHF está disponível um manual de diretrizes para a realização de um evento internacional, esclarecendo os padrões e normas a serem seguidas, adequações de terceiros como banners publicitários, redes e as bandeiras da cerimônia de abertura, além da designação das tarefas de cada participante. O handebol tornou-se um espetáculo.

 

Presente também em Estatuto, a igualdade de tratamento entre homens e mulheres é defendida pela IHF em suas competições, programas e Conselho. A Internacional logrou êxito a respeito da equivalência no número de equipes disputando os Jogos Olímpicos apenas na edição de 2008, em Pequim, quando 24 seleções participaram do evento, 12 no feminino e 12 no masculino, permanecendo assim nas edições subsequentes.

 

O Conselho da Federação é constituído por dezessete ‘cadeiras’. Além das cadeiras do Presidente, do Vice-Presidente, do Tesoureiro e dos dois membros eleitos pelo Congresso, tem os representantes continentais e os presidentes das Comissões Permanentes que são seis: a de Organização e Competições, a de Regras do Jogo e Árbitros, a de Treinamento e Métodos, a Médica, a de Desenvolvimento e, a de Atletas.

 

¹ Em tradução livre do inglês: “Apesar de todo o sucesso, ainda há um longo caminho a seguir. Por isso, eu peço para que todos nós continuemos com nossos esforços em conjunto para estabelecer o que o handebol é para nós: o esporte mais lindo do mundo! O handebol é um diamante, que deve ser polido para que fique brilhante”.

Compartilhe:

Comentários

comentários providos por Disqus

Outros Posts

TIME-OUT

Versão Brasileira

17/03/2019 00:00

567


TIME-OUT

Internacionais

10/03/2019 00:00

760



TIME-OUT

Editorial Time Out

15/02/2019 00:00

1178


Apoiador

Parceiros Institucionais

Filiado A